Para inspirar líderes

Daniel Campos, diretor executivo de RH da Ânima, realizou a palestra Para inspirar líderes, com a curadoria de Marc Tawil. e expôs muitas informações importantes sobre a atuação do RH e os desafios das transformações que acontecem na fusão das empresas.

Daniel Campos, diretor executivo de RH da Ânima, realizou a palestra Para inspirar líderes, com a curadoria de Marc Tawil. e expôs muitas informações importantes sobre a atuação do RH e os desafios das transformações que acontecem na fusão das empresas.

image5-Jun-28-2021-07-22-50-64-PM

O RH é um parceiro estratégico das companhias. Segundo o palestrante, a gestão de pessoas que ainda não se atentou a isso está fadada ao fracasso. Hoje em dia, o setor realiza atividades transacionais, mas o mais importante é o valor que ele proporciona à empresa, ao estar conectado com os objetivos do negócio. Segundo ele, o RH deve:

“Apoiar os executivos para garantir que a gente tenha as pessoas certas, nos lugares certos, na hora certa, para daqui a cinco anos ter uma empresa duas vezes maior” – Daniel Campos 

Além disso, o setor deve fazer a conexão dos desafios, com o plano estratégico para ajudar a empresa a cumprir os seus objetivos. Sendo assertivo e sabendo a importância do seu papel dentro da empresa, o RH consegue trazer muitos resultados positivos.

Quando existem transformações, fusões, entre outros processos difíceis em meio a pandemia, precisa-se fazer um mapeamento da cultura da empresa. Assim, é possível focar nas mudanças e fazer a empresa assumir papéis de protagonismo no mercado.

Os recursos tecnológicos ajudam muito em uma cenário pandêmico e de transformações que acontecem em meio a um ambiente remoto, mas é preciso explicar e mostrar para as pessoas o que está acontecendo e como lidar com essa integração digital.

Também foi abordada a questão da digitalização e a aceleração que ela tomou durante a pandemia. O palestrante comentou que o ensino a distância (EAD) antes era considerado o futuro, mas que agora a nomenclatura está desatualizada, pois a distância não existe mais. Assim, devemos pensar em ensino “digital”.

Segundo Daniel, a experiência do pós-pandemia nas empresas e na educação vai ser redefinida. O mais interessante será utilizar o híbrido. O presencial será realizado para criar conexões e pensar em processos, mas ainda vai ser muito necessário.

“O mundo vai caminhar para um momento híbrido” – Daniel Campos

O palestrante disse que teve sorte de experienciar a ruptura do ambiente presencial quando morou nos Estados Unidos. O autogerenciamento exige maturidade, demanda organização e equilíbrio entre família, trabalho, casa, entre outros aspectos da vida.

Para buscar conhecimento, é possível fazer isso de forma gratuita e com certificados a partir de cursos de grandes universidades, análise de cases, Ted Talks, MBAs e graduações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *