Os desafios de promover Diversidade & Inclusão mesmo em um mercado conservador

O quarto dia do RH Summit contou com a palestra Os desafios de promover Diversidade & Inclusão mesmo em um mercado conservador de Laura Davis Mattar, gerente de diversidade, inclusão e cidadania corporativa da Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados.

O quarto dia do RH Summit contou com a palestra Os desafios de promover Diversidade & Inclusão mesmo em um mercado conservador de Laura Davis Mattar, gerente de diversidade, inclusão e cidadania corporativa da Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados.

image4-Jun-25-2021-06-18-05-23-PM

No painel, foi ressaltado que a diversidade deve ser um tema não só de quem sofre, e destacou-se que o grupo de aliados vêm ficando maior ao longo do tempo. Há a necessidade de trabalhar com o processo de equidade, tendo políticas específicas para grupos que necessitam de uma atenção maior, como o de mulheres, LGBTQIA+, negros, PCD e outros.

Ainda foi chamada a atenção para o fato de que trabalhar com igualdade não atende somente aos grupos que necessitam, e que, além disso, é preciso ter noção de interseccionalidade, percebendo com mais destaque as discriminalidades que se sobrepõem.

O mercado jurídico é conservador e tradicional, e os grandes escritórios são empresas percebendo que existe um “reinventar-se” constante. O programa de diversidade e inclusão, por exemplo, atende uma demanda da sociedade por justiça social e direitos. Mas, além disso, é uma demanda do mercado, uma vez que os clientes estão cada vez mais querendo ser atendidos por times diversos, que trazem resultados melhores.

Ainda foi apontado que é fundamental que as lideranças se engajem nessas iniciativas, percebendo que os grupos de diversidade não são engessados e que a temática é transversal, permeando várias áreas. Além disso, percebe-se que não é uma pauta relevante apenas para o RH, mas sim para outros setores das empresas.

Ainda foi apontado que os dados são importantes para orientar as políticas, já que mostram se as estratégias traçadas estão ou não funcionando. Sobre a questão racial, a palestrante percebe que os escritórios têm trocado informações sobre a pauta a fim de melhorar.

“A questão do racismo no brasil é muito forte” – Laura Davis Mattar

Caminhando para o final da palestra, discutiu-se que, em relação à diversidade, não há concorrência no mercado, e que os escritórios podem cooperar entre si. Percebe-se que as populações vulneráveis são as mais afetadas pela contaminação por Covid-19, e que a pandemia, além de acentuar as vulnerabilidades sociais (o que refletiu no ambiente de trabalho e produtividade), também fragilizou o programa de diversidade em relação a aspectos como o número de pessoas na equipe e o orçamento disponível.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *