O exemplo do LinkedIn

O primeiro dia de evento do RH Summit contou com a palestra O exemplo do LinkedIn, com Alexandre Ullmann, diretor de Recursos Humanos do LinkedIn. Durante o painel, o entrevistado mostrou uma visão humana dessa rede social (que hoje é a maior plataforma B2B do mundo).

O primeiro dia de evento do RH Summit contou com a palestra O exemplo do LinkedIn, com Alexandre Ullmann, diretor de Recursos Humanos do LinkedIn. Durante o painel, o entrevistado mostrou uma visão humana dessa rede social (que hoje é a maior plataforma B2B do mundo).

image1-1

Durante o papo, Alexandre Ullmann contou que, para a equipe LinkedIn, os relacionamentos importam e que estarem juntos, no escritório, é importante. Porém, com a pandemia de Covid-19 e o isolamento social, a empresa, assim como outras, aderiram ao modelo remoto e perderam o contato físico tão prezado por eles.

Contudo, foi apresentado pelo entrevistado que, a partir disso, iniciou-se um processo de ajuda aos funcionários com questões de infraestrutura, equipamentos e reembolsos em um primeiro momento. Logo após, começou o investimento no lado psicológico e emocional.

Desta forma, foi pedido aos gestores para que pressões fossem aliviadas e indicado aos colaboradores que trabalhassem de acordo com o ritmo próprio, por exemplo. Além disso, também houve um investimento em momentos de descansos e pausas, tudo fazendo parte de políticas pensadas para o bem-estar.

Algumas outras ações adotadas pelo LinkedIn durante o contexto pandêmico e compartilhadas na palestra foram:

  • A promoção ao autocuidado e a saúde mental, com sessões de terapia ampliadas aos familiares;
  • Investimento em um novo benefício para colaboradores que precisam prestar cuidados para crianças e idosos, permitindo um afastamento de até 60 dias úteis contínua ou intermitentemente;
  • Criação de um dia sem reunião;
  • Workshops com gestores para a compreensão de cada colaborador e sua respectiva realidade única.

Com esses investimentos, Alexandre conta que foi perceptível a forma que as pessoas têm superado melhor o momento de crise atual, com feedbacks positivos. Além disso, também comentou que o LinkedIn não retornará às atividades a nível presencial enquanto todos não estiverem vacinados. Enquanto isso, as pessoas continuam em home office.

Outra estratégia adotada pelo LinkedIn, e comentada na palestra do RH Summit, foi a adesão a momentos de happy hour das pessoas que não desejam participar, levando em consideração, por exemplo, o longo tempo de tela ao qual estamos sendo submetidos nas condições atuais.

Os grupos de afinidade do LinkedIn que apostam na diversidade, como o LGBTQIA+, continuam em pleno funcionamento, com encontros semanais e remotos, essencialmente em junho, mês do Orgulho LGBTQIA+.

Outro ponto compartilhado durante a palestra foi a cultura do LinkedIn, que investe em uma experiência positiva do colaborador e no bem-estar das pessoas.

Como mensagem, Alexandre conta que aprendeu que se pode investir mais em momentos de pausa durante o dia e que períodos de descanso não atrapalham a entrega do colaborador.

“Pessoas felizes são mais produtivas” – Alexandre Ullmann

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *