Case QuintoAndar: Onboarding como um potencializador de performance alinhado com a estratégia da empresa

No segundo dia do RH Summit, foi apresentada a palestra Case QuintoAndar: Onboarding como um potencializador de performance alinhado com a estratégia da empresa, com Fernanda Imperatrice, culture and development manager do QuintoAndar. 

No segundo dia do RH Summit, foi apresentada a palestra Case QuintoAndar: Onboarding como um potencializador de performance alinhado com a estratégia da empresa, com Fernanda Imperatrice, culture and development manager do QuintoAndar.

image6-1

O painel começou comentando sobre a crença de que o onboarding é um processo padrão, um treinamento de interação. O fenômeno é encarado como uma passagem de informação da área e do processo. Porém, foi ressaltado que ele pode ser um processo estratégico e alinhado ao negócio.

A palestra chama o espectador para refletir sobre o fato de que muitas pessoas já participaram de diversos onboardings ao longo da carreira, e que a adaptabilidade ao processo varia de acordo com a empresa e seu contexto.

Fernanda conta que, no caso do QuintoAndar, ao invés de perguntarem como fazer com que as pessoas já cheguem em ação, em como trazer as informações e fazer o treinamento de forma fluida, foi pensado em como realizar o básico bem-feito, voltando à essência do onboarding e se questionando sobre os motivos pelos quais estão realizando aquilo.

O painel levantou o fato de que o onboarding é um cartão de visitas cultural, uma oportunidade da empresa mostrar como é a tomada de decisão, quais são as estratégias e os motivos pelos quais estão atuando de certa forma atualmente.

Fernanda conta que pontos positivos estão ligados a trazer o encantamento no começo, fazer as pessoas se sentirem em casa, com boas experiências de chegada humanizada e com boas recepções.

Isso faz com que elas estejam mais vulneráveis, aproveitando a experiência desde o primeiro dia, vivendo a estratégia do negócio e fazendo as coisas de forma excelente.

Além disso, a palestrante ainda mostrou que é importante as pessoas estarem conscientes da importância das interações, compreendendo o que a empresa realiza no dia a dia, e que estejam confortáveis com o ambiente. Quanto mais contextualizada e alinhada a como são realizadas as conduções da empresa, mais rápido ela consegue performar e tomar decisões. A contextualização é muito importante.

“As pessoas, desde o primeiro dia, já entendem que podem abordar os outros” – Fernanda Imperatrice

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *